Quem somos

A Gravadora Miller Produções Artísticas lançou oficialmente no dia 20 de Março de 2018 o projeto “Movimento Samba São Paulo” realizando o Show de lançamento do CD no Teatro Santo Agostinho. O projeto tem o objetivo principal de unir forças, reunir os artistas do Samba paulistano para uma só proposta, redesenhar o cenário musical de São Paulo, buscar novos rumos, divulgar novas obras, trazer de volta a mídia grandes sambistas da cidade, por outro lado também revelar novos talentos e assim impulsionar o Samba paulista na mídia.

Portanto, não se trata apenas de uma “coletânea” mas sim de um novo “movimento”.

O projeto apresenta também uma forma inovadora de arranjo para o Samba paulista, mesclando influências musicais cariocas, mineiras, nordestinas,misturando também elementos da MPB e música erudita. Os arranjos aprimorados buscaram sempre novos caminhos musicais para cada idéia apresentada pelos compositores, tendo como base sonora todos os instrumentos de uma grande orquestra, resultando assim em uma Samba popular como tem que ser, porém, muito rico artísticamente.

Como surgiu a idéia?

A idéia surgiu a partir de uma iniciativa do Maestro e produtor musical Denílson Miller em parceria com o sambista Brau de Souza que há anos vem lutando e levantando a bandeira do Samba paulista.

Seleção de repertório

Cada artista foi convidado a gravar uma faixa “inédita, desta forma produzimos uma coletânea. Não fizemos “regravações” pois o objetivo do movimento é justamente criar uma nova força, portanto foram selecionadas as melhores obras inéditas, músicas que condizem com a proposta e que realmente traduzem em sons esse grito de alerta.

Artistas participantes

Foram convidados os artistas mais expressivos de São Paulo, levando em consideração todos aqueles que realmente fazem o Samba raiz.

Mas o projeto tem também o foco nos novos talentos, novos artistas que realmente possam contribuir para a mudança de cenário no Samba da cidade de São Paulo.

Para o acompanhamento, foram selecionados os melhores músicos da cidade de São Paulo e também músicos convidados para participações especiais do Rio de Janeiro.

Todos músicos renomados, atuantes no mercado fonográfico e coadjuvantes em sucessos dos artistas mais consagrados pela mídia.

Diferencial

O grande desafio deste movimento foi produzir um CD de alta qualidade musical para ficar marcado na história do Samba paulista e ao mesmo tempo que possa gerar frutos, reafirmando a nossa qualidade musical e atraindo as novas gerações para garantir que no futuro o nosso Samba de qualidade vá se perpetuar, crescendo e passando de geração para geração.

O desafio foi cumprido e o CD foi lançado em todas as plataformas digitais e também nas principais lojas físicas do Brasil

Repertório do CD

01- Abertura do Movimento Samba São Paulo

Autor do texto e trilha sonora: Denílson Miller Intérprete: Rolando Boldrin

Para a abertura do projeto Denílson Miller escreveu um texto e enviou para a interpretação do grande artista, cantor, compositor, ator e radialista Rolando Boldrin. Depois da gravação da voz, foi criada uma trilha sonora para ajudar a ilustrar a breve história que foi contada sobre os 100 anos do Samba.

02- Um novo dia

Intérpretes na ordem de gravação das vozes: Denílson Miller, Luiz Américo, Dora Vergueiro, Helena e Natalia, Dedé Paraíso, Yvison Pessoa, Cris Bosch, Pegada de Gorila, Adriana Ribeiro, Osvaldinho da Cuíca, Iracema Monteiro, Jurema Pessanha, Valnei da Bahia, Alceu Maia, Maurição, Luis Batucada, Maestro Rildo Hora, Patrícia Hora, Marcos Padovezi, Pietro de Souza, Bryan de Souza, Greice Pereira, Brau de Souza, Yvani Coelho, Simone Ancelmo.

“Um novo dia” o nome já diz tudo! A letra foi escrita especialmente para ser o tema do projeto, fala do sonho de um dia melhor, da formação de uma da nova geração e de uma forma leve e subliminar questiona… como será o nosso futuro?cComo será amanhã? será Um novo dia?

03- O Samba nosso de cada dia

Autor: Brau de Souza Intérprete Luiz Américo

O Samba nosso de cada dia faz do samba uma oração! Com uma letra forte e uma melodia quase religiosa. Na maravilhosa interpretação de Luiz Américo um artista já consagrado, sambista extremamente experiente e competente, esta faixa promete ser uma das músicas mais fortes do CD.

04- A Rosa e o Beija-flor

Autores: Yvison Pessoa, Milbé e Gerson da banda Intérprete Yvison Pessoa

Uma metáfora! Podemos assim definir A Rosa e o beija-flor uma letra muito inteligente e bem escrita que compara a relação que existe entre a Rosa e o Beija-flor com os encontros e despedidas, além disso tem uma Linda melodia e batucada envolvente

05- Para um grande amor

Autor: Denílson Miller
Intérpretes Adryana Ribeiro e Brau de Souza

Para um grande amor tem uma linda melodia e uma letra delicada, trata-se de uma declaração de amor através de uma poesia sutil porém profunda.

06- Amor ao Samba

Intérprete e autor: Luis batucada (Novo talento da baixada santista)

Amor ao samba Com a autoria e interpretação de Luis Batucada, esta música ao invés de ser um samba-exaltação, na verdade ela faz uma exaltação ao samba! Uma verdadeira declaração de amor ao samba, com uma leve dose da gafieira convida os casais para a dança de salão

07- Corrente

Autores: Brau de Souza e Denílson Miller Intérpretes: Rildo Hora e Patrícia

A música Corrente faz a transição entre as gerações, a corrente neste caso é o bastão que é passado do Maestro Rildo Hora para esta geracão que chega agora

08- Amor Real

Autores: Brau de Souza e Denílson Miller Intérprete: Jurema Pessanha

Amor real, esta música foi composta especialmente para a participação da grande cantora Jurema Pessanha, uma cantora que tem um timbre muito parecido com a voz da Alcione. Podemos também considerar uma homenagem já que o arranjo bem tradicional lembra os grande sucessos da “Marron”

09- Tenho fé no meu Orixá


Autores: Maurição e Ratinho
Intérprete: Mauríção (novo talento da baixada santista)

“Tenho fé no meu Orixá” com uma batucada incrível e com uma força de Ogum este samba contagia pela energia e pela letra religiosa. Energia positiva, força interior!

10- Foi tanto amor

Intérprete e autora: Simone Ancelmo (novo talento da baixada santista)

Com a autoria e interpretação de Simone Ancelmo “Foi tanto amor” também traz uma poesia leve porém triste, a letra fala de um amor interrompido, mas por outro lado mostra o Samba como a cura, o tratamento para a alma, linda melodia, voz maravilhosa e interpretação marcante.

11-Quem sabe

Intérprete e autor: Maurição

Nesta faixa “Quem sabe” Maurição resgata o tradicional samba romântico nos estilo Agepê, com arranjo de cordas de orquestra e samba cadenciado um samba para se apaixonar

12- Samba rural

autores: Tucho, Toinho Melodia e Augusto César Intérprete: Osvaldinho da Cuíca

A música “Samba rural” resgata o mais antigo samba paulista, a verdadeira raiz do Samba com influência do Samba de Pirapora. Na interpretação de Osvaldinho da Cuíca ganhou ainda mais sentido e vida! Osvaldinho é um grande conhecedor e o mais importante representante deste estilo musical. Viveu toda a época e ainda hoje conta toda as história através do seu trabalho original.

13- Desigualdade

autor: Brau de Souza
Intérpretes: Simone Ancelmo e Valnei da Bahia

“Desigualdade” fala da desigualdade social, da diferença que existe entre as classes sociais no Brasil e da situação política atual, uma crítica ao cenário que vivemos hoje. Triste, mas ao mesmo tempo realista e bonita.

14- Sambista é assim

Autores: Sinval Correa e Roberto Chama Intérprete: Marcos Padovezi

Com uma letra bem humorada e bem construída “Sambista é assim” fala da vida do sambista, dos seus costumes, do amor pela música e do jeito de sambista, afinal… sambista é assim!

15- Mãe Senhora das águas

Intérprete e autora: Yvani Coelho

Yvani Coelho autora e intérprete compôs esta música para a sua mãe e cantou em sua homenagem no seu leito de morte. Portanto a música traz um sentimento muito profundo, sentimento ainda potencializado pelo fato de Yvani Coelho ter um timbre semelhante ao de Clara Nunes. O Título Mãe Senhora das águas ainda dá um duplo sentido a palavra “Mãe” já que o arranjo da

música foi feito no estilo Clara Nunes e portanto homenageia também Iemanjá a grande Mãe Senhora das águas.

16- Manhã na Vila

Autor e intérprete: Denílson Miller

“Manhã na Vila” de uma forma poética fala do cotidiano dos moradores de uma suposta “vila” um local não identificado que pode ser qualquer uma das Vilas da cidade, mas a realidade descrita é a realidade de todos! Forte e emocionante!