dora
Biografia

Dora Vergueiro

Paulista de nascimento que encontrou no calor do Rio de Janeiro a cumplicidade perfeita para o jeito inquieto, a vontade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo agora.

Cresceu na barra do samba do pai, o compositor Carlinhos Vergueiro, com quem aprendeu muito cedo que a música se faz e acontece nas ruas das cidades, no entra e sai das casas dos amigos durante a madrugada. Suas primeiras grandes influências vieram do samba, principalmente da convivência com verdadeiros personagens da música brasileira que achavam graça naquela menina curiosa e tímida, fascinada pelo som e muito afinada.

Aos 15 anos subiu no palco com um time de responsa, que definiu de vez os caminhos da cantora: Robertinho Silva, Raul de Souza, Ron Carter e o pianista e tio Guilherme Vergueiro embalaram a projeção dela na mídia paulistana. Dali para o primeiro disco não demorou muito. Em 1996 Dora gravava Leve, título da parceria dos amigos de pelada Carlinhos Vergueiro e Chico Buarque.

A paixão pelo esporte, fez com que Dora aos 18 anos entrasse para a Faculdade de Educação Física. Depois de 3 anos, a vida à levou para o curso de Comunicação Social. Passou 10 anos como apresentadora do canal Sportv onde exercitou o jornalismo de forma abrangente. Produzindo, escrevendo, editando e cobrindo eventos.

Da experiência vivida no programa Rolé, onde viajou o mundo num formato mais reality ,veio o segundo disco, Pé na Estrada, com um repertório mais voltado para o público do programa Zona de Impacto, que queria ouvir as músicas que Dora cantava nos luaus improvisados pelo Brasil. Ali ela experimentou o reggae, a surfe music, o forró e as composições próprias.

De 2007 à 2010 apresentou o Trilha Mtv, programa voltado para a cultura, gastronomia e esportes , onde viajou por todo o estado de Minas Gerais.

Dora é também radialista e trabalhou 6 anos na Oi Fm fazendo transmissões ao vivo, entrevistas e cobertura de shows. Atualmente tem um programa diário na rádio Beach Park de Fortaleza, onde fala de música e estilo de vida saudável.

No 3º CD, “Samba Valente”, Dora volta às raízes fazendo samba num disco 100% autoral.

O quarto trabalho, que traz regravações de clássicos como “Meu drama”, de Silas de Oliveira, trouxe uma grata surpresa: Ela foi a única brasileira mulher à concorrer ao lado de nomes como Zeca Pagodinho e Martinho da Vila, ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Samba.

Nesse ano de 2016, a cantora, compositora e apresentadora está finalizando seu quinto álbum “Contrafluxo”, que traz a participação especial de Chico Buarque, dividindo com ela a faixa Bebendo Garoa, de Edil Pacheco e Carlinhos Vergueiro.